Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CONFEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ANTIGOS/AS ALUNOS/AS DO ENSINO CATÓLICO

Espaço aberto a comunicações de antigos alunos do ensino católico em Portugal.

Espaço aberto a comunicações de antigos alunos do ensino católico em Portugal.

CONFEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ANTIGOS/AS ALUNOS/AS DO ENSINO CATÓLICO

30
Dez21

Solenidade da EPIFANIA do Senhor


Oliveira

Proposta de Homilia para a Solenidade da Epifania do Senhor – ANO C - 2022

Deus … Luz para o mundo

Domingo, 2 de Janeirro de 2022

      Irmãos e Irmãs, a Epifania mostra-nos o Menino, Filho de Deus, adorado pelos Reis Magos, que representam os povos pagãos, não pertencentes ao Povo de Deus. Todos nós estamos representados nessas personagens.

  1. Epifania, luz de Deus

     Primeira leitura

     Abrimos o olhar para a primeira leitura que nos mostra o profeta Isaías a exclamar: “resplandece, Jerusalém porque chegou a tua luz e a glória do Senhor brilha sobre ti... A sua glória te ilumina”. Ao dizer estas palavras, resplandece, Jerusalém, Isaías vê esta cidade repleta de luz; como as nossas ruas no tempo de Natal. Vê Deus, que vai receber novamente Jerusalém como sua esposa. Isto, porque o povo exilado na Babilónia regressou a Jerusalém.

     E outros povos do oriente, com as suas riquezas se encaminham para o monte santo. Estamos perante o “universalismo da salvação”. Essa luz que resplandece em Jerusalém é para todos os povos, para nós.     

      Sem essa luz, a humanidade permanece nas trevas: nas guerras, nos atropelos, nos muros que separam. O muro de Berlim foi uma barreira, durante 28 anos, desde 1961 a 1989. Ainda recordamos imagens de pessoas com marretas a derrubarem esse muro da vergonha.

       Hoje há outros muros: a luta contra os cristãos, contra a família, contra o ensino religioso…É melhor construir pontes do que levantar muros de separação. Ou como disse um pensador: “mais vale acender um fósforo do que maldizer a escuridão”. Ora em Belém acendeu-se a grande luz, do Menino Deus, que faz resplandecer Jerusalém. Luz para todos os povos.

  1. Epifania, realiza-se hoje na Igreja

     Evangelho

     Hoje, na Epifania, Jesus manifesta-se como salvador de todos os povos. Os Reis Magos foram a Jerusalém guiados por uma estrela. … “Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo”. 

     E quem acende a estrela da luz de Cristo no mundo? Nós, os cristãos, com a nossa fé. Com a nossa vida simples, de fidelidade ao Evangelho. Qualquer pessoa humilde pode ser essa luz. É interessante este conselho de Francisco de Assis: “devemos evangelizar…e se for preciso, alguma vez com a palavra” (frase na internet). Queria ele dizer: mais com a vida do que com a palavra.

     Herodes não aceitou a luz. Ficou nas trevas, e deu a morte aos meninos de Belém, com dois anos ou menos.

     Quando a humanidade se afasta de Deus, comete crimes como o holocausto da guerra 39-45. Conhecemos o horror de Auschwitz. Ao contrário, a Epifania é luz de Cristo para todos os povos, portanto, para nós. Recordemos: Há sempre uma estrela no céu, a orientar-nos para Jesus. Os Magos procuraram Jesus; encontraram o Salvador e ofereceram presentes. A humanidade não pode viver fora de Deus. O nosso Deus encontra-se pela Fé.

  1. Epifania chama-nos à fraternidade

     Segunda leitura

          São Paulo, na Carta aos Efésios, viu a Epifania como um chamamento para Cristo. E diz: “Neste mistério (de Cristo) foi revelado que todos somos chamados a formar um só corpo. Jesus nasceu em Belém para trazer a fraternidade ao mundo; Jesus mostrou-se aos Reis Magos, e mostra-se hoje através da Igreja, para sermos irmãos. Foi Jesus que explicou aos Apóstolos: “Nisto reconhecerão que sois meus discípulos: se vos amardes unas aos outros” (Jo 13,35). São Mateus mostra gosto na viagem das personagens a Belém. Foram guiados por uma estrela. Quem é a estrela que os guiou? É o próprio Jesus nascido em Belém. Como dirá mais tarde S. Paulo: “Não há judeu nem grego… somos todos um em Cristo” (Gl 3,28).

     A “Luz da Fé” é o título da primeira Encíclica do Papa Francisco. Ele reconhece que apenas a Fé nos dá a luz que a simples razão não concede dar-nos. “Quem acredita, vê com uma luz que ilumina todo o percurso da estrada, porque nos vem de Cristo Ressuscitado, estrela da manhã que não tem ocaso”[1]. Epifania, Luz da Fé para caminharmos pela verdade e pelo amor.

Pe. António Gonçalves, SDB

[1] Papa Francisco, Luz da Fé, n. 1

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub