Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CONFEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ANTIGOS/AS ALUNOS/AS DO ENSINO CATÓLICO

Espaço aberto a comunicações de antigos alunos do ensino católico em Portugal.

Espaço aberto a comunicações de antigos alunos do ensino católico em Portugal.

CONFEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ANTIGOS/AS ALUNOS/AS DO ENSINO CATÓLICO

25
Jun21

Cultura e Pastoral da Cultura - Actualidade


Oliveira

Transcrevemos, com a devida vénia, do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura:

O que se vê melhor de olhos fechados? Não sei

Quando me aproximo de um texto (inclusive de natureza bíblica), antevejo e adianto um possível escândalo. Diria, de maneira atrevida, que a palavra que cura e salva, terá forçosamente de nalgum instante tropeçar o leitor, deixando-o trôpego. Como se um espigão espicaçasse e invertesse o andamento do seu andar e o coxear fosse o timbre do novo compasso. Tenho por certo, que um bom leitor é aquele que no gesto de espreitar o texto, regressa desalojado. Recentemente, enquanto abria e lia os textos bíblicos de Domingo, o enredo insinuava aquilo que parece ser próprio de Deus: gerar nova vida cujo paladar pode soar a desacerto.

Saiba mais

Os dias do tempo : 24.6.2021

«Tudo tem seu tempo»: Palavras, imagens e música para dar sentido às horas deste dia.

Saiba mais

“Miserere”: A nudez poética de Adélia Prado

Adélia concebe a criação literária como um mistério que é quase um sinónimo de fé, ou seja, algo que não se explica através da inteleção, mas advém da experiência com o sagrado. A poesia leva-nos a ler a vida humana com o pano de fundo do sagrado. É na luz do transcendente que as palavras poéticas ganham um sentido e se humanizam, revelando a beleza e o ser das coisas. Na poesia adeliana está patente a força da fé! É esta fé, muitas das vezes provada, dura, desconcertante, desinstaladora, que conduz o sujeito poético ao amadurecimento na oração, na espera pelo tempo de Deus.

Saiba mais

Deus não está de dedo apontado para os teus pecados, mas estende-te a mão que te agarra e reergue

Belíssima imagem: Deus e uma menina, mão na mão. Não era lícito, segundo a lei, tocar um morto, quem o fizesse tornava-se impuro, mas Jesus perfuma de liberdade. E ensina-nos que é preciso tocar o desespero das pessoas para as poder reerguer. Uma história de mãos: em todas as casas, junto ao leito da dor ou ao do nascimento, o Senhor é sempre uma mão estendida, como o é para Pedro quando se está a afundar na tempestade.

Saiba mais

Agradecimentos:

https://www.snpcultura.org

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub