Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CONFEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ANTIGOS/AS ALUNOS/AS DO ENSINO CATÓLICO

Espaço aberto a comunicações de antigos alunos do ensino católico em Portugal.

Espaço aberto a comunicações de antigos alunos do ensino católico em Portugal.

CONFEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ANTIGOS/AS ALUNOS/AS DO ENSINO CATÓLICO

30
Dez20

Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus

Nossa Mãe deu-nos o seu Filho, Jesus


Oliveira

1 de Janeiro de 2021 - ANO B

      Irmãs e irmãos, o que recordamos neste primeiro dia do ano? Três razões de interesse: Santa Maria, Mãe de Deus; a paz no mundo; o novo ano civil. Neste momento, o nosso olhar vai de modo particular para Nossa Senhora, Mãe de Deus.

  1. Santa Maria, mãe de Deus: bênção para nós.

Primeira leitura

     A primeira leitura coloca-nos no monte Sinai, e mostra-nos como em nome de Deus, Aarão e os seus filhos deviam abençoar o povo. O Senhor te abençoe e te proteja, e faça brilhar o seu rosto sobre ti e te seja favorável’”. Aarão era irmão de Moisés, e o primeiro sumo-sacerdote. A bênção que ele devia dar ao povo vinha de Deus, pedindo assim: “O Senhor te abençoe”. Pedia protecção de Deus, e que Deus mostrasse o seu rosto. Nós vemos nesta bênção uma comunicação de vida, que vem de Deus: “O Senhor te abençoe”.  

     E por que aparece este texto no dia dedicado a Nossa Senhora? Porque Maria deu-nos a maior de todas as bênçãos; deu-nos o seu Filho Jesus. E com Jesus entramos na vida divina. Nossa Senhora, no primeiro dia do ano, fica também como Nossa Mãe, a abençoar-nos. Reconhecemos este dom tão grande para nossa salvação.

  1. Santa Maria, Mãe de Deus: para sermos filhos de Deus

Segunda leitura

     São Paulo, escrevendo aos Gálatas, revela a essa comunidade e a nós o grande mistério na plenitude dos tempos: “Deus enviou o seu Filho, nascido de uma mulher… para nos tornar seus filhos adoptivos”. Assim, podemos chamar a Deus nosso Pai: Abbá! Pai!.

     Esta verdade, este dom, esta graça de sermos filhos de Deus é a maior dignidade que temos: sermos irmão de Jesus e com Jesus sermos filhos de Deus.

     As mães oferecem presentes aos filhos; Maria dá-nos o seu Filho Jesus. São Paulo sente alegria em dizer isto aos Gálatas, e a nós: para nos tornarmos filhos adotivos.

  1. Santa Maria Mãe de Deus: alegria para os pastores e para todos

     Evangelho

     São Lucas diz-nos que os pastores foram apressadamente a Belém para verem o Salvador. As pessoas do nosso tempo andam muito apressadas com as tarefas da vida … É preciso que se lembrem de procurar o Senhor, como fizeram os pastores.

     Diz-nos também São Lucas como os pastores encontraram Maria, José e o Menino, e regressaram aos seus lugares de guardas dos rebanhos “glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto”.

     O evangelista convida-nos a louvar a Deus, pelo seu amor, e a testemunhar a nossa fé. Na sua catequese, dá a conhecer quem é esse Menino, Jesus, o Messias, o libertador. Deus veio a nós por Maria. Ele deu-nos o seu Filho, deu-nos Deus connosco.   

    Recordamos o que o Papa Francisco disse em Fátima, no dia 13 de maio 2017: “Queridos peregrinos, temos Mãe, temos Mãe! Agarrados a Ela, como filhos, vivamos da esperança que assenta em Jesus”[1].   

     Escreveu um bispo de França: “A Mãe de Jesus não conheceu na terra a doçura da visão de Deus. Mas a sua fé (de Maria), com provações e dificuldades, não conheceu nunca desfalecimento, nem hesitações,… nem demora. A fé de Maria teve a solidez do rochedo[2].   

     Hoje é também o Dia Mundial da Paz. A paz é um bem precioso. O tema da Mensagem do Papa Francisco é: “A cultura do cuidado como percurso de Paz”. Ou seja: interesse, evitando a indiferença. Que a Mãe de Jesus nos conceda o dom da paz.

Padre António Gonçalves SDB

 

[1] Conferência Episcopal Portuguesa, Papa Francisco em Fátima, p. 36.

[2] Pierre-Marie Theas, que foi bispo de Tarbes e Lurdes: Maria Modelo de fé, p. 38.

30
Dez20

EUTANÁSIA-ACTUALIZAÇÃO (1/3)

NOTÍCIAS +LEI EM PREPARAÇÃO +5 COISAS QUE SE PODEM FAZER


Oliveira

Partilho email do Dr. António Torres sobre o processo da lei da Eutanásia, para ficarmos bem informados e podermos agir na defesa da vida e da dignidade humana.

(A Oiveira)

Caros amigos: este é o primeiro de uma série de 3 emails em dias seguidos, com informações sobre o processo da lei da eutanásia.

Notícias sobre o processo legislativo (além da em anexo):  Parlamento ajuda Marcelo a passar à margem do dossier eutanásia (DN, 12-dez), Eutanásia está quase votada mas regra que a legaliza fica para o fim (Público, 17-dez), Lei da eutanásia à espera do voto final e da decisão do Presidente (Observador, 20-dez), e Deputados vão tentar concluir lei da eutanásia nos primeiros dias de janeiro (RR, 22-dez). Das expectativas dos promotores da lei fala a entrevista em anexo da Isabel Moreira (Público, 21-dez).

Qual o texto da lei neste momento em discussão? Podem encontrá-lo e analisado pela Teresa de Melo Ribeiro no artigo Eutanásia: a proposta de "texto de substituição" que (quase) nada substitui (Observador, 17-dez).

Neste momento que se pode fazer? 1) Subscrever esta petição Não à eutanásia em nenhuma circunstância2) participar online no encontro DNA com Ricardo Baptista Leite (7-jan, 21h30); 3) tomar posição pública, escrever artigos e para os correios de leitores dos jornais; 4) usar nas redes sociais os materiais (textos, imagens, vídeos) disponíveis no Facebook da Caminhada pela Vida e no site da campanha Afirmar Dignidade (uma campanha da ADF-International com a Federação Portuguesa pela Vida) e 5) participar no grupo WhatsApp Todos contra a Eutanásia onde circularão com maior prontidão noticias das iniciativas que terão lugar nas próximas semanas. Quem quiser participar nesse grupo diga-me por favor [indicando o número de telemóvel].

Caros amigos: aproxima-se mais um momento decisivo. Por tudo e todos a quem queremos bem nesta boa terra de Portugal façamos a nossa parte!

Um abraço a todos com o entusiasmo e a confiança de sempre, do

Antonio Pinheiro Torres

Eutanasia30-12-20.jpg

"O Diabo" 4 Dez-2020

Eutanasia30-12-20-a.jpg

"Público" 21 Dez 2020

26
Dez20

Festa da Sagrada Família


Oliveira

Comunhão dos filhos com os pais e com Deus na santidade

Festa da Sagrada Família, 27 de Dezembro de 2020 – Ano B

      Irmãs e irmãos temos diante de nós a Sagrada Família de Nazaré, formada por Jesus, Maria e José. Que nos diz a palavra deste domingo sobre a família? 

  1. Família merece honra e louvor

       Primeira leitura

       Hoje, Festa da Sagrada Família, as leituras dão-nos um retrato do que deve ser a família. Ouvimos palavras de sabedoria proferidas por Ben-Sirá; este personagem é um sábio pregador do Antigo Testamento: convida-nos a um grande louvor à família, sobretudo na relação dos filhos com os pais. Diz-nos assim: “Quem honra seu pai obtém o perdão dos pecados; e quem honra sua mãe acumula um tesouro”. Acrescenta outras bênçãos, como: terá longa vida, terá conforto, será sempre lembrado.

     As características da família descritas por Ben-Sirá dão-nos sinais de Deus que abençoa os filhos obedientes, e abençoa toda a família, em união dos filhos com os pais e da família com Deus. Um retrato humano e divino da família.

  1. Família deve ser santa

Segunda leitura

São Paulo, escrevendo à Comunidade de Colossos, (na Turquia) faz uma exortação muito bela à família. Diz assim: “Como eleitos de Deus, santos e predilectos, revesti-vos de sentimentos de misericórdia, bondade, humildade, mansidão. Acima de tudo, revesti-vos de caridade… e habite em vós a palavra de Cristo” .

Descendo à prática, São Paulo dirige-se às esposas, aos maridos, aos filhos, como eleitos de Deus, santos e predilectos.

 Irmãos, se as nossas famílias forem como São Paulo as apresenta, teremos o céu na terra. Assim podemos dizer: a obediência, a misericórdia, a bondade, a caridade devem ser a alma das famílias, a caminho da santidade.

  1. Família Sagrada de Jesus, Maria e José

Evangelho

São Lucas apresenta-nos a família com o sentido sagrado, mostrando a Sagrada Família de Jesus, Maria e José cumprindo as normas do seu tempo. Os pais de Jesus vão ao templo, em Jerusalém, para apresentar o Menino ao Senhor.     

     Depois desse gesto de fidelidade às normas do tempo, a família foi viver em Nazaré, e São Lucas refere-nos que Jesus “crescia em estatura, sabedoria e graça, diante de Deus e das pessoas”  (cf. Lc  2,52).

São Lucas apresenta-nos este exemplo da Sagrada Família: Jesus obediente; São José no trabalho em silêncio; Maria, no sacrifício e no amor.

O Papa Francisco tem páginas muito belas sobre a família, e na Exortação Apostólica: “Alegria do Amor” diz-nos assim: “A Alegria do amor que se vive nas famílias é também o júbilo da Igreja”. De facto, a família pode considerar-se “igreja doméstica”, uma pequena Igreja. Queremos ver na Sagrada Família em Nazaré um sinal do amor de Deus, fé e comunhão.

Foi numa família que se realizou o mistério da incarnação, ou seja, do Filho de Deus que se fez um de nós, nascendo de Maria. É por isso que a Igreja honra a família, na qual cresceu Jesus, e que se tornou modelo para todas as famílias.

Padre António Gonçalves SDB

16
Dez20

ORAÇÃO DIANTE DA MANJEDOURA


Oliveira

Partilho o texto de meditação da oração do terço de segunda feira enviado pelo Ir. Manuel Silva.

(A Oliveira)

Escolheste nascer aqui, Senhor, neste precário centro que é a nossa carne, entre a sede e a escassez que os dias levantam. Escolheste nascer no desamparo rasante das nossas paisagens e habitar como nós este humaníssimo e fragmentário tempo que, por vezes, parece só guardar o peso de ser tarde. E não evitaste para nascer os redemoinhos de cinza onde acampamos, ou o fluxo das nossas incertezas, dilemas e cansaços.

Mas se vens ao nosso encontro, Senhor, é para que caminhemos para Ti e, mesmo na nossa dispersão, Te possamos encontrar. Se olhas para nós é para que Te possamos ver. Se nos escutas é para que nos saibamos atendidos. Se estendes para nós os braços é para que nos sintamos abraçados. E se nasces em cada ano é para que possamos renascer.

Por isso, Senhor, nos colocamos desarmados diante da tua manjedoura a rezar.

Que os Teus olhos, Jesus, ensinem largueza e altura aos nossos olhos. Que os Teus olhos desimpeçam a visão fragmentária, parcial e indecisa, que ainda é a nossa.

Ensina-nos como se constrói a manjedoura onde é ainda possível nos reinventarmos. Ensina-nos, por exemplo, que duas mãos que se avizinham são uma manjedoura.

Que a misericórdia e o perdão são as traves de uma manjedoura. E que uma vida fraterna habita, mesmo sem saber, dentro do mistério do Natal.

Cardeal José Tolentino de Mendonça

14.12.2020

10
Dez20

NOSSA SENHORA DO ADVENTO


Oliveira

Partilho o texto da oração de segunda feira do Cardeal Tolentino de Mendonça enviado pelo Ir. Manuel Silva.

(A Oliveira)

Avé Maria, Senhora do Advento, a misericórdia de Deus esplende de forma clara em ti. Bendita és tu entre as mulheres. Em teu seio amadurece a manhã.

Ó Mãe propícia, leve, magnífica e atenta aos amplos pátios da nossa solidão. És aquela que melhor apascenta a nossa sede. Roga por nós que atravessamos o mundo agora. Roga por nós que atravessamos esta hora.

É verdade que carregas a nossa humanidade no fundo do teu colo. E que conheces como ninguém as cidades íngremes por onde passamos, as sirenes empastadas de alarme, o peso do nosso corpo anoitecido.

Mas é no trabalho do amor divino que inteira brilhas, ó Mãe indefesa como um fogo. Passas por nós devagar as mãos protectoras e o tempo desse amor transparente torna brandas as tempestades em que nos consumamos. Chovemos no teu regaço a nudez dos nossos sonhos tatuados a cinza e a vazio.

Mas degrau a degrau, mesmo se cambaleantes, nós subimos quando tu inclinas para nós o olhar. Consola-nos o abraço do teu silêncio em flor e a canção do teu sorriso nos reergue, porque o milagre de Deus se faz fruto no teu ventre. Em ti começa o verbo festivo, prometido e pleno.

Por isso, neste tempo de espera, festejamos já felizes a roda do teu colo.

Cardeal José Tolentino de Mendonça

7.12.2020

07
Dez20

Imaculada Conceição da Virgem Santa Maria

Sugestão da homilia da festa da Imaculada Conceição


Oliveira

Maria concebida sem pecado, a cheia de Graça,

sinal dos tempos novos

     Irmãos, que significa para nós celebrar a Imaculada Conceição da Virgem Santa Maria? Significa que Nossa Senhora foi concebida sem pecado original, toda pura.

     Para termos plena confiança nesta verdade, o Papa Pio IX, em 8 de dezembro de 1854 declarou como dogma de fé a verdade da Imaculada Conceição, respondendo ao desejo dos cristãos, que olharam para Maria como a cheia de graça, a toda pura, a Imaculada. E declarou em nome da Igreja: “A bem-aventurada Virgem, no primeiro instante da sua conceição, foi preservada imune de toda a mancha de pecado original”.

  1. Maria Imaculada realiza a profecia do começo da humanidade

Primeira leitura

     Para compreendermos este mistério, recordemos: no começo da humanidade, deu-se a tragédia do pecado dos nossos primeiros pais. E por um sentido solidário com essa falta, todos nascemos nessa situação de pecado original. Mas nessa altura Deus abriu uma grande luz, anunciando a Imaculada Conceição com estas palavras, dirigidas à serpente: “Eu porei inimizade entre ti e a Mulher, entre a tua descendência e a descendência dela: esta te esmagará a cabeça” (Gn 3, 15). É o anúncio de Maria, nova Eva.

     A Igreja defendeu esta verdade desde os primeiros séculos, S. Justino, Santo Ireneu, e Tertuliano exprimiram-se nesse sentido; a eles se juntaram Santo Ambrósio, Santo Agostinho, e outros. A Virgem Santa Maria, com a sua descendência, o Messias, esmagaria a cabeça da serpente, ou seja, o mal e o pecado.

  1. Maria Imaculada, Sinal dos tempos novos

Segunda leitura

     Irmãos, este sinal de Maria sempre Virgem, Imaculada, é uma voz a chamar-nos para uma vida de pureza. A Carta de São Paulo aos Efésios encanta-nos com uma Bênção de Deus. Diz assim: “Bendito seja Deus… que nos escolheu antes da criação do mundo, para sermos Santos”.  Santos com uma vida pura:

     Jesus chama-nos a essa vida de santidade com uma das Bem-aventuranças: “Felizes os puros de coração, porque verão a Deus» (Mt 5,8).

     Os casais vivem a sua castidade sendo fiéis ao matrimónio, gerando e educando os filhos. Os jovens vivem a castidade não antecipando os direitos do matrimónio. Um exemplo: quando perguntaram ao jovem Domingos Sávio, de 15 anos, para que queria ele os olhos, perante cartazes impróprios, ele teve uma resposta inteligente: “Quero os meus olhos para contemplar o rosto de nossa Senhora quando Deus me chamar”.

  1. Maria chamada pelo anjo cheia de graça

     Evangelho

     Irmãos, quando o anjo anunciou a Maria o mistério da incarnação, chamou a Maria não pelo nome dela, mas a “Cheia de Graça”: Ave, ó cheia de graça”. Eu te saúdo, porque és a Imaculada.   

     Um sinal particular na história cristã: em 1858, quatro anos depois de o Papa ter declarado o dogma de  Nossa Senhora Imaculada Conceição, Nossa Senhora veio mostrar em Lurdes o seu agrado por este título.  Quando a menina Bernadete andava a apanhar lenha com outras companheiras, junto do rio Gave, ergeu os olhos e ficou encantada com uma linda visão: Nossa Senhora, vestida de branco, com uma faixa azul à cintura, e uma flor em cada pé. E quando Bernadete lhe perguntou: “Quem sois?”. Ela respondeu: “Eu sou a Imaculada Conceição”.

       Hoje, quem vai a Lurdes, vê uma longa fila de pessoas a passar por essa gruta, com gosto em tocar na rocha da gruta onde apareceu Nossa Senhora. Ali perto nasceu uma fonte de água, quando Nossa Senhora disse à menina Bernadete, lava-te. Muitos doentes são levados às piscinas. Algumas vezes Deus permite o milagre da cura. Conheço uma pessoa que visitou Lurdes, viu uma senhora a levar uma doente na cadeira de rodas em direção às piscinas, e pediu-lhe: permite-me que eu conduza esta doente? A senhora consentiu, dando alegria a essa pessoa por esse pequeno gesto de amor (p ag).

     Portugal mostrou devoção com o gesto do Rei D. João IV, quando pegou na sua coroa e a colocou aos pés da Imaculada Conceição, em Vila Viçosa! Imaculada Conceição: nossa Mãe e Rainha.

P. António Gonçalves, SDB

05
Dez20

Sugestão de Homilia pelo P. António Gonçalves, SDB


Oliveira

2.º DOMINGO do Advento - ANO B

Encontro com Deus que salva

Irmãs e Irmãos, saúdo-vos novamente, e desejo meditar convosco sobre o que significa para nós a Palavra que escutamos neste segundo domingo do Advento. Julgo ver o Senhor a dirigir-nos um grande apelo ao nosso encontro com Ele.

  1. Encontro com Deus: Preparar o caminho

Primeira leitura

Sabemos que o povo de Deus, no Antigo Testamento, exilado no estrangeiro, aguardava a sua libertação, e preparava-se para regressar à sua terra. Por isso, assim proclama o profeta Isaías: “Consolai, consolai, meu povo”. E diz-lhe mais: Preparai o caminho do Senhor, … abri uma estrada para o nosso Deus.

Ora, nós precisamos de abrir caminho para a vinda do Senhor; e precisamos de afastar os obstáculos que impedem esse encontro. Quais obstáculos? Tudo o que nos afasta de Deus: o egoísmo, o fecharmos os olhos perante quem precisa de nós, o desinteresse pela fé. Preparemos o caminho do Senhor, com a humildade, a fé, a caridade. É preciso que Deus encontre o caminho aberto para vir a nós. Assim compreendemos o profeta Isaías: “Abri um caminho para o nosso Deus” .

  1. Encontro com Deus: para um mundo novo

Segunda leitura

E para que é este encontro com Deus? A Carta de São Pedro alarga o nosso olhar para o mundo novo prometido, dizendo: “Nós esperamos novos céus e nova terra”. Tudo será renovado. Vemos no Apocalipse: “Eis que faço novas todas as coisas” (21, 5). Uma grande esperança para a nossa vida.

São Pedro, ao dizer: "novos céus e nova terra", refere-se à transformação do mundo no fim dos tempos, à nova Jerusalém do céu; mas no seu pensamento estava também a vida presente, nos nossos dias; por isso, diz o Apóstolo: ”Como deve ser santa a vossa vida e grande a vossa piedade". São Pedro chama-nos à vida de Jesus ressuscitado em nós, vida santa.

  1. Encontro com Deus, na pessoa de Jesus.

Evangelho

Estamos a meditar sobre o encontro de Deus connosco. São Marcos coloca diante de nós o grande pregador S. João Baptista. Ele é o apresentador de Jesus. O povo acorre a ele para o ouvir dizer: “Eu baptizo-vos com água; o que vem depois de mim baptizará no Espírito Santo”.

João Baptista referia-se ao Messias, Jesus Cristo. Ora com Jesus, depois do nosso Baptismo, recebemos a vida nova. Nós já estamos convertidos, é verdade; mas precisamos de entrar mais nos caminhos da Igreja; precisamos de nos abrir ao perdão; de ver em cada irmão o próprio Jesus. Então, o nosso encontro de Deus connosco é mais verdadeiro.

     Parecerá difícil este caminho? Ninguém desanime, irmãs e irmãos. Estamos a caminhar para um mundo novo, no amor. Com alegria. Transmito um pensamento do Papa Francisco: “A alegria do Evangelho enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus”.[1] Disse isto na Exortação Alegria do Evangelho.

     Não há maior alegria do que a alegria de Jesus em nós. “Com Jesus Cristo, renasce, sem cessar, a alegria” .

[1] Papa Francisco, A Alegria do Evangelho n. 1, 2013.

05
Dez20

A economia de Francisco


Oliveira

Partilho texto de UASP, com a devida vénia.

Economia-Francisco.jpg

(...) O papa Francisco foi bem claro nos objectivos traçados para estas jornadas e todos os longos meses de preparação: «Estudar e praticar uma economia diferente, a economia que faz viver e que não mata; que inclui e não exclui; que humaniza e não desumaniza; que cuida da Criação e que não a delapida». Além de dois prémios nobel e outros grandes nomes da economia actual, bem como empresários, quis contar com a participação de 500 jovens de todo o planeta. Afinal, foram mais de 2.000, tal a resposta ao desafio lançado." VER MAIS 

Por P. Carlos Vaz, ASSABraga

05
Dez20

Cultura e Pastoral da Cultura - Actualidade

Sugestões de leitura


Oliveira

Leitura: "Triságia - Ícone senhora

da ternura" [Imagens]

Aquele título desconhecido fez-me adentrar e, tal como Moisés diante da sarça que ardia sem se consumir, descalcei as sandálias e deixei-me conduzir. Sentei-me e comecei a folhear aquelas páginas densas devagarinho como se de um ritual se tratasse. De facto, não podemos apressar a leitura. Senti em mim a mesma sensação que me assola sempre que me coloco em oração diante de um ícone. Não é à primeira, nem à segunda que se entra. É preciso esperar ali, no sossego, de mãos e mente vazias. Aguardar no silêncio junto do umbral até que a janela se abra e se dê início a um diálogo não conhecido. Folheara apenas…

Saiba mais

À VIRGEM MÃE DA TERNURA

Mae-de-ternura.jpg

À Virgem Mãe da Ternura

Mãe, minha doce Mãe, ó Virgem pura !

Põe-me no teu regaço e dá-me um beijo.

Mesmo que a sonhar seja um desejo

Minh’ alma vibrará de formusura…

 

Diz-me o coração, onde a amargura

Teima destruir o bem que almejo,

Junto do teu, sentindo o latejo,

Nada me pode dar maior ventura!... 

 

Olho, assim, para ti: Dou-te, eu, um beijo.

‘stou no teu colo. Sorris. Eu festejo!

Chamo-te Mãe, Maria, que doçura!...

 

Volves teus olhos. Neles me revejo

Todo entregue a Ti, Sol benfazejo,

Divina luz do Amor, Mãe da ternura!

 Zé de Murça 

Compromisso com o mal

O compromisso com o mal é um modo de perspetivar a história: quanto da totalidade desta, na sua imensidade de ação humana, não consiste em compromisso com o mal, com os agentes do mal? Compromete-se com os agentes do mal qualquer ‘lei’ que os protege contra as vítimas; compromete-se com os agentes do mal todo o ser humano que, por pensamento, palavra, ato e omissão, de algum modo os ajuda e promove. Quantas vítimas inocentes foram já sacrificadas ao compromisso com o mal?

Saiba mais

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub