Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CONFEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ANTIGOS/AS ALUNOS/AS DO ENSINO CATÓLICO

Espaço aberto a comunicações de antigos alunos do ensino católico em Portugal.

Espaço aberto a comunicações de antigos alunos do ensino católico em Portugal.

CONFEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ANTIGOS/AS ALUNOS/AS DO ENSINO CATÓLICO

23
Nov22

ENTREVISTA AO PAPA FRANCISCO


Oliveira

Com a devida vénia, partilhamos a entrevista ao Papa Francisco. A CNN Portugal e a TVI entrevistaram o Papa Francisco em exclusivo, uma entrevista conduzida pela jornalista Maria João Avillez.

Francisco fala de temas importantes e a maneira como fala é já sinal como resolver os problemas que lhe são colocados na entrevista: Fala da Universalização da juventude. Como tratar com os jovens! Como encurtar distâncias? A mulher. Fátima é a virgem do silêncio (“Para mim Portugal é Fátima”), A Igreja é feminina. Como estabelecer o diálogo entre conservadores e progressistas na Igreja, etc.

(A. G. Pires)

https://tviplayer.iol.pt/programa/papa-francisco-a-entrevista/633419560cf26256cd37d2c0/video/6321de850cf26256cd35b10d?autostart=true&fbclid=IwAR15guJ1YYjvR7nCo7RRWbgOpxe4Z7qSlweDYSnfW0uMKiKHCxHhPXLy5nY  

EXCLUSIVO: entrevista na íntegra ao Papa Francisco

Papa Francisco - A Entrevista | TVI Player

23
Nov22

AREIA NOS OLHOS


Oliveira

Pelo que contém de actual e oportuno, a COPAAEC propõe para leitura e reflexão de mais um artigo do jornalista A. Cunha Justo.

(A. G. Pires)

Os Traidores das próprias Regras armam-se em Denunciantes do Qatar

Sete países europeus queriam que os seus capitães das equipas de futebol a actuar no Qatar usassem uma faixa de capitão com os dizeres "One Love", em defesa da inclusão!

A FIFA ameaçou puni-los com cartão amarelo ou com outra pena caso usassem a faixa. Perante a ameaça de punição, os respectivos representantes dos países, Inglaterra, País de Gales, Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Holanda e Suíça renunciaram à iniciativa.

Por outro lado, delegações da União Europeia (especialmente da Alemanha) inclinam a cabeça com reverência profunda perante os catarenses para que lhes vendam gás!

A Elite catarense pode rir-se destes europeus que por um lado querem o negócio do gás, por outro lado tomam iniciativas em defesa da moral, mas, quando se trata de passar à prática, a moral revela-se apenas como areia lançada ao ar com o fim de irem entretendo o povo em conversas sobre ela. O cinismo e a hipocrisia mandam saudações!...

Vai-se vivendo na convicção de que meio mundo corrupto negocia com o outro meio feito de meios-corruptos (Esta moral do pragmatismo fundamenta a sustentabilidade da corrupção) ...

Também as sanções económicas em geral feitas em nome de valores a defender têm como finalidade não a paz nem a justiça, mas sim manter a guerra por outros meios em favor dos grupos mais poderosos...

A FIFA e os interesses económicos sabem que têm em sua posse o palco onde os políticos orgulhosamente se movem e por isso sente-se na mesma casa podendo agir livremente, independentemente da injustiça, porque o que conta é poder, interesses e influência...

Na pessoa do presidente da FIFA, Gianni Infantino, torna-se mais visível como, especialmente, os países que participam da iniciativa "One Love" estão perdendo a sua espinha dorsal e a já deficiente credibilidade.

O Qatar defende os seus interesses seguindo a sua tradição religiosa enquanto os europeus querem tudo, querem o dinheiro e a honra. Quem traiu as próprias regras foram os países participantes e na opinião pública ocidental armam-se em denunciantes.

António da Cunha Duarte Justo

Texto completo em Pegadas do Tempo https://antonio-justo.eu/?p=7978

22
Nov22

PRENDA DE ANIVERSÁRIO DOS 18 ANOS - BONUS DE 200 EUROS PARA EVENTOS CULTURAIS


Oliveira

Pelo que contém de actual e oportuno, a COPAAEC propõe para leitura e reflexão de mais um artigo do jornalista A. Cunha Justo.

(A. G. Pires)

O Governo alemão, para motivar mais jovens a interessarem-se pela cultura, disponibiliza 200 euros para o ano em que jovens façam 18 anos; esta medida tem início em 2023.

Este passe de cultura aplica-se já aos 750.000 jovens que completarão 18 anos no próximo ano. O orçamento do Estado prevê 100 milhões de euros para esta medida.

Os aniversariantes têm a possibilidade de carregar 200 euros por meio de um aplicativo (App). Livros e ingressos para concertos podem ser retirados com o crédito.

Depois de tão pródigo orçamento do estado para o armamento mal seria se o Governo não desse a impressão de se preocupar também um pouco com as dificuldades que o povo passa!

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo, https://antonio-justo.eu/?p=7965

22
Nov22

O PODER DO DINHEIRO EM CAMPO NA COPA DO MUNDO NO CATAR


Oliveira

Pelo que contém de actual e oportuno, a COPAAEC propõe para leitura e reflexão mais um artigo  do jornalista A. Cunha Justo.

(A. G. Pires)

No Catar também as Mulheres são Bolas de Jogo

A Copa do Mundo 2022 começa no Catar a 20/11/2022 e termina a 18/12/2022. O Catar tem 2,7 milhões de habitantes, mas apenas 10% têm a nacionalidade do Catar; os outros 90% são trabalhadores imigrantes. No Catar, um em cada seis cidadãos é milionário.

O Campeonato do Mundo no emirado do Qatar é muito controverso não só por se realizar pela primeira vez no Inverno (época do advento-natal) mas também pelas violações maciças dos direitos humanos no emirado e pelas jogadas sujas da FIFA (1) ...

Entre a maioria das empregadas domésticas estão muitas Filipinas católicas que temem agressões violentas ou assédio sexual até à violação por parte de empregadores. Elas não se podem defender porque enfrentariam a prisão ou a deportação. Por isso representações estrangeiras recomendam as mulheres a pensarem bem no caso de quererem recorrer a tribunal.

O próprio Ministério dos Negócios Estrangeiros da República Federal da Alemanha adverte os viajantes que em casos extremos, "se uma violação for denunciada, a vítima pode ser processada por 'sexo extraconjugal'" e a única saída é casar com o violador...

Não é aceitável que as vítimas de violência sejam levadas perante os tribunais e cinicamente acusadas de sexo extraconjugal.

No Catar em 2008 foi construída a única igreja Católica que durante a Copa terá três missas diárias. No Catar, vivem 200 mil católicos que são trabalhadores migrantes das Filipinas, India, América do Sul, África, Líbano e Europa...

Na opinião política pública, entoam-se árias de embalar na esperança de que a maioria durma, alguns rezem e uns tantos se aproveitem!... Dos “adeptos” apaixonados não há que se preocupar porque esses já se encontram sob controlo!...

A FIFA e os campeonatos de futebol são manifestações abertas da extrema masculinidade e da violência cultivada na nossa sociedade; isto, mesmo quando em campo jogam mulheres...

A situação da mulher no Catar poderia ser ocasião para uma discussão sobre a falta de feminidade na nossa sociedade que é de matriz determinantemente masculina.

Necessitam-se iniciativas para construção de uma matriz de pensamento (política, social e económica) de carácter complementar em que o princípio da masculinidade e o princípio da feminilidade sejam integrados em termos de balance equilibrada...

Enquanto não nos questionarmos em termos da matriz sociológica e antropológica que seguimos, continuaremos a fomentar uma cultura de competição exagerada que leva à guerra!

António da Cunha Duarte Justo

Texto completo e nota em Pegadas do Tempo, https://antonio-justo.eu/?p=7968

O Campeonato do Mundo é uma oportunidade

para chamar a atenção para abusos desumanos.

19
Nov22

34.º DOMINGO DO TEMPO COMUM - ANO C - SOLENIDADE DE CRISTO-REI


Oliveira

Sugestão da homilia para o trigésimo quarto Domingo do Tempo Comum - ANO C - 2022 - Cristo - Rei

Nosso Senhor Jesus Cristo Rei.

Domingo, 20 de Novembro de 2022

      Irmãs e irmãos, celebramos Jesus com o título de Rei. Esta expressão precisa de ser meditada: o que significa?

  1. Jesus Cristo é Rei com a sua Cruz

     Evangelho

     O evangelho dá-nos o grande sentido de Cristo Rei, apresentando-o na Cruz. Não aparece num grande palácio; não tem pajens ao seu lado; não é chefe de uma grande nação; o evangelho apresenta-o pregado na Cruz, entre dois malfeitores. Na verdade, o reinado de Cristo está na sua cruz. Isto pode estranhar-nos. Mas é a grande realidade. Ali sobressai o amor, o perdão, o dom da vida. E também a vitória de Jesus, obtendo-nos a salvação. Pela Cruz somos salvos, declara São Paulo (1 Cor 1,18).

     Portugal tem um grande sinal de Jesus Cristo Rei, em Almada. Está de braços abertos, a acolher os seus irmãos, os que aceitam o seu reinado de amor, de paz e justiça, de Vida. Parece estar a dizer-nos: “Vinde a mim, todos vós, que estais cansados… e Eu vos aliviarei” (Mt 11, 28-30). Palavras de Jesus, ao povo oprimido.

     Ainda o sentir de Paulo: “Mas nunca pode ser que eu me glorie, senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim, e eu, para o mundo” (Gl 6, 14-17).

     Esta forma de Jesus que se oferece ao Pai para salvar os irmãos leva-nos a sermos também Jesus para os irmãos. Servir e dar a vida. De algum modo os pais também dão a vida pelos seus filhos. Educar os filhos pode ser também uma cruz.

  1. Jesus Cristo, descendente de David Senhor da Unidade e da Paz

     Primeira leitura

     A primeira leitura orienta o nosso olhar para a figura do rei David: este rei conseguiu a união de todas as tribos do povo de Israel. Deus disse: “Tu apascentarás o meu povo… tu serás o rei de Israel” (Miq 7, 14). E David, sendo rei, tornou-se o rei da unidade e da paz, e essa imagem tornou-se anúncio de Jesus, que veio realizar a União na paz, na justiça e no amor.

      David foi ungido pelo povo; Jesus foi o Ungido pelo Pai. A palavra “Cristo” quer dizer ungido, marcado. Como se tornou Jesus Rei da unidade e da Paz? Não como os reis deste mundo, mas com o dom da sua vida.  

  1. Jesus Cristo faz-nos passar das trevas para a Luz

    Segunda leitura

A Carta de São Paulo aos Colossenses é uma maravilha ao apresentar-nos Jesus: Ele é o “primogénito de toda a criatura… n’Ele temos a redenção…Ele é a cabeça da Igreja, que é o seu corpo”. E diz algo que nos esclarece sobre o reino de Jesus: “Ele estabeleceu a paz, pelo sangue da sua cruz”.

     Jesus deu a vida por nós e nós damos a vida pelos nossos irmãos. Este o grande ensinamento de Jesus Cristo Rei do Universo.

    Celebramos no dia 17 de Novembro, Santa Isabel da Hungria, rainha; desprendeu-se de tudo para acudir aos pobres.  Ser Rei é mais do que governar; é salvar.

 Pe. Antonio Gonçalves, SDB

15
Nov22

JURISTAS COM FÉ E VIDA NORTE+3 INFORMAÇÕES IMPORTANTES


Oliveira

Partilho informação enviada pelo Dr. António Pinheiro Torres, em benefício dos leitores do nosso Blog

(A. G. Pires)

Caros amigos

Em Novembro há o encontro Juristas com Fé (22-Nov, 21h00 em Lisboa) e o concerto solidário da Vida Norte (28-Nov, Porto, 21h30). Ambos os cartazes estão em anexo.

Informações importantes:

  1. Como sabem a Caminhada pela Vida foi adiada para Março de 2023 (data precisa a ser anunciada em breve). Antes da mesma pedi ajuda para o respectivo financiamento. Recebemos um total de € 712,00 provenientes de 10 amigos. Muito e muito obrigado! Lá para Fevereiro retomarei o peditório (a Caminhada de Lisboa custa cerca de 3 mil euros) e a quantia atrás indicada ficou guardada para a ocasião.
  2. Por uma das minhas filhas (duas trabalham na industria dos eventos, espectáculos e agenciamento de artistas, outra trabalha comigo e o mais novo ainda está Universidade) soube da Semear que como diz no respectivo site “A “MERCEARIA SEMEAR” é um negócio social Inclusivo que tem como objetivo empregar pessoas com deficiência e combater o desperdício alimentar através da produção e exploração agrícola,  preparação, confecção, transformação e venda de produtos alimentares artesanais.” Recomendo muito!
  3. O nosso amigo Nuno Saraiva da Ponte tem um novo projecto: a Via Sénior sobre o qual saiu esta noticia: Booking das residências facilita escolha às famílias portuguesas.

Um abraço a todos e bom fim-de-semana!

António Pinheiro Torres

Concerto Solidário com Vida Norte 28-Nov Casa da

Encontro Juristas com Fé 22-Nov 21h00 Lisboa.jpeg

 

10
Nov22

33.º DOMINGO DO TEMPO COMUM - ANO C


Oliveira

Sugestão da homilia para o trigésimo terceiro Domingo do Tempo Comum - ANO C - 2022

A nossa história divina caminha para um mundo novo

Domingo, 13 de Novembro de 2022

      Irmãs e irmãos, nós gostamos de viver. E Deus quer dar-nos vida para sempre.  Meditemos as leituras.

  1. A nossa história divina: novos céus e nova terra

     Evangelho.

    De tudo isto não ficará pedra sobre pedra. Tudo será destruído. Palavras de Jesus em Jerusalém, não para assustar, mas para meditar.  Por que disse Jesus estas palavras? Ele viu com os apóstolos a cidade de Jerusalém, com a beleza do Templo a sobressair sobre as construções da cidade. Anunciou que a cidade iria ser destruída. E assim aconteceu, 70 anos depois. O imperador Tito arrasou, destruiu a cidade.

    Que significado tem este facto e as palavras de Jesus? Podem indicar o fim de um tempo antigo e o começo de outro tempo novo com Jesus.  Indicam o tempo da Igreja, o nosso tempo. Passou o que era antigo, começou nova época.

      Como vê Jesus o tempo da Igreja? Com dois sentidos: Primeiro: sacrifícios:  “Hão de persegui-vos….  Causarão a morte a alguns de vós”. E este anúncio de Jesus tem-se verificado em toda a história de Igreja. Os apóstolos morreram mártires, e em nossos dias a Igreja é perseguida.

      Porém Jesus, dá-nos esperança; segundo sentido: “Pela vossa perseverança salvareis as vossas almas”. Então, a nossa atitude é de coragem e confiança. A presença de Jesus ressuscitado no meio de nós, garantindo a nossa vida com Ele.

      Esse novo tempo após a destruição de Jerusalém indica-nos também “O novo céu e a nova terra", o mundo novo no fim dos tempos. Aí teremos o mundo novo, a nossa liberdade como filhos de Deus. Esta reflexão leva-nos a viver como irmãos, filhos de Deus.

    É muito interessante o pensamento de um pastor não católico:  “Se soubesse que o mundo se desintegraria amanhã, ainda assim plantaria a minha macieira”.  Parece muito estranho este pensamento de Luther King.  Mas o que estava na sua mente? “Vamos viver como irmãos”. Este mesmo pastor faz uma reflexão: “Aprendemos a voar como as aves; aprendemos a nadar como os peixes; e ainda não aprendemos a viver como irmãos”.

     No pensamento de Jesus, o horizonte cristão é sempre de esperança, sabendo que a ressurreição de Jesus é o fundamento da nossa alegria e do nosso futuro, da nossa ressurreição.

     2. A nossa história divina é história de salvação

     Primeira leitura

     No outono vemos as folhas amarelas a caírem das árvores; as vassouras limpam as ruas. As vinhas parecem tristes; o céu é mais sombrio; a vida fica encoberta; passou o verão, com o sol radioso. As pessoas defendem-se com agasalhos. Mas depois do outono e do inverno, vai raiar a Primavera, com flores e alegrias. E depois, as árvores darão os seus frutos.

     Escutamos na primeira leitura o profeta Malaquias. “Mas para vós, que temeis (amais) o meu nome, nascerá o sol de justiça trazendo nos seus raios a salvação”.  Esta Palavra indica: O projecto de Deus é salvar as pessoas”.  

     O salmo, a seguir à leitura, canta esta esperança: “Cantai ao Senhor, ao som da cítara… Ressoe o mar e tudo o que ele encerra…aplaudam os rios e as montanhas exultem de alegria”. Disse Jesus: “Eu vim salvar o que estava perdido” (Lc 19, 10). Isto indica o desejo que Deus tem de nos salvar.   

  1. A nossa história divina - com o nosso trabalho

    Segunda leitura.

   São Paulo escreveu à Comunidade de Tessalónica, na Macedónia. Os habitantes de Tessalónica julgavam estar próximo o fim dos tempos, e alguns viviam na ociosidade, sem interesse…  Paulo advertiu-os neste sentido: “Trabalhamos dia e noite, com esforço e fadiga…Em nome de Jesus Cristo, trabalhem tranquilamente”. Isto é, Deus oferece-nos a salvação, esperando que nós colaboremos com o nosso tralho. “O Deus que te criou sem ti, não te salvará sem ti” (bispo Santo Agostinho).

   Caminhamos para Novo Céu e Nova terra, um mundo novo, vivemos na Igreja povo santo de Deus, com Jesus ressuscitado a caminhar connosco, com o seu amor de salvação: vivamos a esperança e o amor aos irmãos.

Pe. António Gonçalves, SDB

07
Nov22

UM CENÁRIO INFERNAL


Oliveira

Segue abaixo um artigo do Dr. Pedro Vaz Patto, publicado no jornal «A Voz da Verdade» que provavelmente muitos ainda não leram…

A COPAEC congratula-se e agradece testemunhos que edificam e ajudam a saber ser e estar.

AGPires

Ainda não há muito tempo, o acesso livre à pornografia era frequentemente apresentado como sinal de abertura e progresso das sociedades. Os países nórdicos foram pioneiros nesse campo, desde os anos sessenta do século passado. O prefácio do diploma que em Portugal legalizou o acesso à pornografia (mesmo assim, sob certas condições que nunca chegaram a ser cumpridas), o Decreto-Lei n.º 254/76, de 7 de abril. chega a falar nos seus supostos benefícios. Por isso, não deixei de ficar surpreendido quando, mais recentemente, num congresso de uma plataforma de organizações que lutam contra a prostituição, ouvi a um representante do governo sueco de então, governo de esquerda que se auto-intitulava feminista, afirmar: «Está na hora de colocar na agente política a luta contra a pornografia». Não era nenhum pregador ultra-conservador ou fundamentalista a dizê-lo. Era um político de um dos países pioneiros da liberalização da pornografia e particularmente sensível aos direitos das mulheres. A razão dessa luta contra a pornografia é a mesma que subjaz à política do chamado “modelo sueco” de combate à prostituição, com punição do cliente e apoio à reinserção social das pessoas prostituídas. Num e noutro caso, está em causa a “coisificação” e “mercantilização” de pessoas particularmente vulneráveis, sobretudo mulheres. 

            Nessa mesma linha, é oportuno destacar um relatório recente elaborado por quatro senadoras francesas, uma de centro-direita, outra centrista, outra socialista e outra de esquerda radical, sobre a pornografia como um “cenário infernal” (“Porno -L´Enfer du Décor”), que pode ser consultado no sítio do Senado francês (www.senat.fr).

Retrata tal relatório um cenário verdadeiramente infernal. Salienta, por um lado, como, através da internet, o negócio da pornografia tem crescido exponencialmente, sobretudo através de grandes plataformas que são das mais frequentadas por utentes de todas as idades. A circulação de vídeos pornográficos atinge cerca de um quarto do total da circulação de vídeos na rede.

Mas tal relatório denuncia, sobretudo, a associação da pornografia à violência física e verbal. Uma associação que não representa um simples desvio, mas se revela sistemática. Essa associação verifica-se em cerca de noventa por cento dos casos. Os conteúdos pornográficos são cada vez mais violentos e não obedecem a qualquer controlo ou consideração sobre a forma como são produzidos (muitas vezes contra a vontade das e dos protagonistas). Esta violência (nem sempre simulada) não pode deixar de servir de incentivo à prática de crimes sexuais.

São denunciados os métodos de recrutamento das e dos protagonistas, que invariavelmente se traduzem em formas de exploração da vulnerabilidade e da pobreza.

Refere-se como os direitos de uso das imagens são normalmente cedidos de forma ilimitada e só com o pagamento de quantias avultadas poderão essas imagens ser retiradas de circulação. O que significa que para as pessoas em causa, na prática, não existe o chamado “direito ao esquecimento”: ficarão marcadas para sempre com tais imagens, mesmo que venham a mudar de vida, como muitas esperam.

Afirma-se como não é, na prática, restringido o acesso à pornografia por parte de menores. Cerca de um terço dos menores de quinze anos tem acesso à pornografia virtual.

A tentativa de regular a pornografia com salvaguarda dos direitos das e dos protagonistas é, para as autoras do relatório, ilusória. Falar, como por vezes sucede, em “pornografia ética” é, para elas, uma “aberração semântica”. Poucas são as situações em que se verifica algum respeito por tais direitos. E como o consentimento no âmbito sexual tem de ser necessariamente reversível a todo o tempo, não tem sentido assumir obrigações contratuais a esse respeito.

Este relatório enuncia os efeitos danosos, no plano pessoal e também no plano social, da pornografia: a mercantilização do corpo e da sexualidade, a difusão de uma visão deformada e violenta da sexualidade, a erotização da violência e das relações de domínio, as dificuldades no relacionamento com o sexo oposto, a hipersexualização precoce de crianças. Recomenda que seja dada prioridade à luta contra a violência na pornografia, que seja garantido o “direito ao esquecimento”, que sejam efetivamente aplicadas as leis que proíbem o acesso de menores à pornografia e que se invista fortemente na educação dos jovens. E chega a questionar se, em nome da protecção da dignidade humana e da salvaguarda dos direitos fundamentais, não deverá ser, pura e simplesmente, proibida a pornografia.

Muito se tem falado nos crimes de abuso sexual de crianças e adolescentes. Sobre ele falou o Papa Francisco na entrevista que deu à jornalista portuguesa Maria João Avillez, aludindo a propósito também à “cultura da pornografia”. Esse abuso é particularmente grave quando ocorre em ambientes da Igreja, mas não é específico dela (sei isso bem, por experiência profissional). E é particularmente grave porque representa a anulação do auto-domínio no âmbito sexual e a “coisificação” da pessoa e, por isso, uma afronta à ética sexual cristã e personalista (seria bom que se salientasse mais este aspecto quando se aborda este fenómeno). É essa mesma afronta que se verifica na pornografia. 

Pedro Vaz Patto

04
Nov22

32.º DOMINGO DO TEMPO COMUM - ANO C


Oliveira

Sugestão da homilia para o trigésimo segundo Domingo do Tempo Comum - ANO C - 2022

Vida eterna – vida com Deus

Domingo, 6 de Novembro de 2022

     Irmãs e irmãos, o que se passa quando nós morremos? Os nossos sonhos desaparecem? O que somos perde-se? As leituras deste domingo dizem-nos: Com a morte começa o mais belo da nossa vida: a ressurreição. Por isso dizemos: “Creio na vida eterna”.

  1. A vida eterna: ver Deus face a face

    Evangelho

     Cada um dos quatro evangelhos: de Mateus, Marcos, Lucas e João narra o acontecimento de Jesus que morreu e ressuscitou. Comunicar esta certeza foi o núcleo da pregação no começo do cristianismo, o Kerygma, palavra grega que significa proclamação, ou anúncio. De quê? Da morte e ressurreição de Jesus Cristo.

     A ressurreição de Jesus é a garantia da nossa ressurreição. É sobre este feliz mistério que gostaria de meditar convosco. O evangelho de São Lucas mostra-nos um grupo de Saduceus a fazer uma pergunta a Jesus. Quem são? Pessoas de alta sociedade, mas não acreditavam na ressurreição. Jesus respondeu à pergunta com estas palavras: “E que os mortos ressuscitam, até Moisés o deu a entender…quando chama ao Senhor ‘o Deus de Abraão, de Isac e de Jacob” . Ou seja, é o Deus de homens vivos…

     Também São São Paulo nos refere na Carta aos Coríntios: “O Senhor preparou para aqueles que O amam coisas que os olhos não viram, ou ouvidos não ouviram, o coração do homem não pressentiu”  (1 Cor 13,12).

     A nossa catequese diz-nos: com o meu baptismo eu fiquei unido a Jesus ressuscitado; começou em mim a vida de Jesus, a minha vida eterna, já na Terra. E esta minha união a Jesus ressuscitado não se interrompe: "veremos Deus face a face”, diz-nos São Paulo na mesma Carta aos Coríntios (1 Cor 13,12).

     Eu gostaria de apresentar um exemplo, que pode ilustrar esta doutrina:  O Rei Balduíno da Bélgica faleceu em 1993. Para o funeral, a sua esposa apresentou-se vestida de branco (foto na internet). O marido tinha feito esse acordo com a esposa. Significado? Branco sinal de festa. A ressurreição é a feliz realidade que nos espera.

  1. A vida eterna e a nossa ressurreição

     Primeira leitura

     Na primeira leitura temos o exemplo da família dos Macabeus, que nos dá um grande testemunho. Sete irmãos e a mãe viúva passaram pelo martírio, em defesa da sua fé na vida eterna. Este livro dos Macabeus foi escrito cento e alguns anos antes de Jesus. O catequista de Israel que narrou a história dos Macabeus dá resposta à nossa pergunta: que acontece a cada um de nós após a morte?  Acontece a nossa ressurreição.

     A certeza de que a vida continua para além da morte levou essa família a resistir ao cruel rei Antíoco Epifânio, da Síria, que pretendia obrigar as pessoas a abandonar a fé em Deus.

     Em que consiste a vida eterna? Em estar com Deus vivo, a ver a Deu faca a face (S.  Paulo). Lemos hoje no livro dos Macabeus: “O Rei do universo ressuscitar-nos-á para a vida eterna”.

  1. A vida eterna é dom de Deus e das nossas boas obras

Segunda leitura

     São Paulo escreveu à comunidade em Tessalónica: “O Senhor vos torne firmes em toda a espécie de boas obras e palavras”. Ou seja, nós devemos caminhar para essa vida eterna, colaborando com boas obras e orações. Deus dá-nos a vida e conta com a nossa colaboração.

     Este é o horizonte da nossa vida, o nosso encontro com Jesus ressuscitado. Motivo para a nossa esperança, a nossa alegria, a nossa história divina com Jesus ressuscitado

Pe. António Gonçalves, SDB

04
Nov22

FALTA DE COMPROMISSO POLÍTICO PRODUZ MIGRANTES VÍTIMAS + ORIGEM DA BURKA - PROSTITUIÇÃO + HALLOWEN + CONGRESSO DO PARTIDO COMUNISTA CHINÊS


Oliveira

Pelo que contém de actual e oportuno, a COPAAEC propõe para leitura e reflexão mais alguns artigos do jornalista A. Cunha Justo.

(A. G. Pires)

FALTA DE COMPROMISSO POLÍTICO PRODUZ MIGRANTES VÍTIMAS

O Papa Francisco... criticou a falta de compromisso com as pessoas. “Estamos a tornar-nos mestres da complexidade, que falam muito, mas fazem menos”. Muitos dizem sim a tudo, mas no final resulta daí um não, por exemplo, quando se trata de acolher migrantes...

As grandes potências e oligarcas, com as suas tecnologias e produtos concorrentes, aniquila, muitas vezes, as indústrias e comércios indígenas; em vez de criar riqueza para proveito das populações locais, força as pessoas a emigrar.

Temos bom exemplo disso também em Portugal. As grandes nações europeias para darem escoamento aos seus produtos industriais e tecnológicos abriram os mercados aos produtos da China...

A sorte de Portugal é que encontra uma certa solidariedade da União Europeia que em compensação e para impedir o possível desenvolver-se de uma revolução popular (e a desintegração dos países da zona euro), se adiantou com a política dos “fundos perdidos” e a juros baixíssimos para os empréstimos estatais; doutro modo os Estados da periferia cairiam na falência imediata.

Países africanos encontram-se expostos à concorrência feroz que impede os mercados nativos de se afirmarem por si mesmos...

Quem ganha com a exploração sistémica somos todos nós, os que temos um nível social elevado, mas os que mais ganham com isto são as grandes multinacionais localizadas nas grandes potências, e as elites dos diversos países que não se veem motivadas a mitigar o sistema no sentido de maior justiça social e de prática democrática na relação entre povos e na distribuição de meios de produção e bens entre eles. Apesar das remessas dos emigrantes para o desenvolvimento de Portugal, é uma tragédia o facto de o povo português investir tanto na formação de académicos e muitos destes se virem obrigados a terem de emigrar para poderem melhorar o seu nível de vida!...

Deste modo a nossa camada social média vai fazer com que a camada baixa de países importadores desses emigrantes se torne menos baixa!

Nós podemos e temos o dever de importar imigrantes não só para equilibrarmos a nossa balança etária, mas também porque muito dos bens que temos se devem à exploração...

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo, https://antonio-justo.eu/?p=7933

_____________________________________________________

ORIGEM DA BURKA - PROSTITUIÇÃO

Estratégia de Ataturk para modernizar a Mulher

O traje islâmico tem a sua origem num culto à divindade Astarte (1), deusa do amor, da fertilidade e da sexualidade, na antiga Mesopotâmia (Fenícia).

Em homenagem à deusa do amor físico, todas as mulheres, sem excepção, tinham de se prostituir num determinado dia do ano, nos bosques sagrados, em redor do templo da deusa Astarte.

Para cumprirem o preceito divino sem serem reconhecidas, as mulheres de alta sociedade acostumaram-se, no dia da festa, a usar um longo véu em protecção da sua identidade.

Com base nessa origem histórica, Mustapha Kemal Atatürk, fundador da moderna Turquia (1923 – 1938), no quadro das profundas e revolucionárias reformas políticas, económica e culturais, que introduziu no país, desejoso de acabar de uma vez por todas com a burka, serviu-se de uma brilhante astúcia para calar a boca dos fundamentalistas da época.
Atatürk pôs definitivamente um fim à burka na Turquia com uma simples lei que determinava o seguinte: «Com efeito imediato, todas as mulheres turcas têm o direito de se vestirem como quiserem, no entanto todas as prostitutas devem usar a burka».

No dia seguinte, não havia ninguém de burca e niqab na Turquia. Hoje acentua-se o uso do lenço. Da prostituição institucional onde a mulher era, num dia, presa aberta para todos os homens, com Maomé o uso da BurKa ou do lenço, sinaliza que a mulher já pertence a algum homem ou se reduz a mero símbolo religioso.

É interessante que a Bíblia também faz referência à imoralidade do rei Salomão que pecou contra o seu Deus ao prestar culto à deusa Astarte (1 Reis 11,5). Os egípcios, mais tarde, deram-lhe o nome de Isis, e os gregos de Afrodite e Hera.

António da Cunha Duarte Justo

Teólogo e Pedagogo

Pegadas do Tempo

Texto completo (2014) em http://antonio-justo.eu/?p=2826

__________

PODER RENOVADOR DA MULHER:

 https://triplov.com/letras/Antonio-Justo/2009/mulher.htm

________________________________________

O DIA DE TODOS OS SANTOS

– O DIA DE TODAS AS ALMAS - E O HALLOWEN

A Igreja católica celebra a 1 de novembro todos os santos, não só os conhecidos canonizados, mas todos os outros.  No Martyrologium Romanum estão registados 6650 santos e beatos e 7400 mártires. A celebração comemorativa remonta ao século IV.

Todas as pessoas falecidas que viveram as suas vidas para o bem e com o sentido em Deus são celebradas.

No dia seguinte, 2 de Novembro, a Igreja Católica celebra o Dia de Todas as Almas. Em novembro são assim celebrados todos os mortos como fazendo parte da mesma comunidade!

Na noite 31 de Outubro, celebra-se o Halloween. O termo "Halloween" vem da expressão "Véspera do Dia de Todos os Santos" em que os celtas celebravam o rito de morte. Os irlandeses integraram nos seus rituais a celebração de „Halloween" (lembrança colectiva) que integra alguns costumes celtas (Samhain, onde se sacrificavam crianças e virgens) que celebravam a morte.

Os irlandeses ao emigrarem para os EUA levaram consigo este costume que nos anos 90 se tornou parte da cultura americana!

A mistura de rituais celtas de reminiscência bárbara de culto da morte (tem a ver com o processo de aculturação e inculturação no encontro de costumes entre povos). A integração do rito Halloween na cultura americana pretende certamente incitar as lembranças americanas inconscientes também elas comuns a velhas práticas indígenas.

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo, https://antonio-justo.eu/?p=7930

 __________________________________

O 20.° CONGRESSO DO PARTIDO COMUNISTA CHINÊS

PERPETUA XI JINPIN NO PODER

O partido chinês (2.000 Delegados) alarga os poderes de Xi  para o próximo quinquénio, enfraquecendo para isso a direcção colectiva em favor de Xi Jinping (secretário geral e presidente da China) de maneira a este ter poderes quase absolutos; esta estratégia adoptada revela-se como tentativa “adequada e eficiente” de dar resposta autoritária aos problemas internos e externos e de fortalecer a economia chinesa que deve ser orientada no sentido da segurança chinesa.

A regra determina que os altos funcionários com 68 anos ou mais na época do congresso se aposentem. O mandato de Xi é prolongado apesar de ter 69 anos. O controle sobre o partido, o Estado e os militares permitem-lhe poderes de ditaduras (1).

Os poderes dados a Xi pelo partido possibilitam a China a existir sem Indecisões e sem  o mundo!

Deng Xiaoping em 1982 revolucionou o comunismo de Mao Tsé-Tung criando a forma específica do socialismo chinês que compatibilizou o socialismo de Estado com o capitalismo liberal ocidental numa institucionalização dictatorial. A China ao compatibilizar a ideologia socialista com as linhas do capitalismo como forma de domínio, possibilitou a sua posição mundial relevante na competição com o capitalismo que motivado pela globalização a ajudou. Como grande potência e ditadura consegue fazê-lo de maneira a poder afirmar-se em desvantagem de outros sistemas. O capitalismo dos privados encontra-se em posição fraca em relação ao Capitalismo de Estado chinês.

Taiwan, entre interesses capitalistas e socialistas, passa a ter de temer mais a pressão chinesa; Taiwan continua submetida aos interesses da China como a Ucrânia aos interesses da OTAN e da Federação russa.

Nesta perspectiva a raiva e não o entendimento continuará a governar o mundo.

António da Cunha Duarte Justo

Nota em Pegadas do Tempo, https://antonio-justo.eu/?p=7881

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub